Notícias

O número das vendas de medicamentos para a saúde mental aumentam pós-pandemia

10 Jul às 18h00

O número de medicamentos para a saúde mental, com destaque para os antidepressivos e os estabilizadores de humor, cresce a cada ano no Brasil, com um crescimento de cerca de 58% entre os anos de 2017 e 2021, afirmam dados do Conselho Federal de Farmácia.

Antes da pandemia de Covid-19, por volta de 193 milhões de pessoas tinham transtorno depressivo (mais grave) e 298 milhões de pessoas foram diagnosticadas com transtornos de ansiedade em 2020. Com as novas pesquisas, esses números foram ajustados, referentes ao período pós-pandêmico, com estimativas iniciais mostrando um salto para 246 milhões de indivíduos com transtorno depressivo (mais grave) e 374 milhões de indivíduos com transtornos de ansiedade.

Algumas das novas estimativas sugerem que 1 em cada 8 pessoas, por volta de 1 bilhão de indivíduos em todo o mundo, vive com uma condição de saúde mental. No primeiro ano da pandemia, houve um crescimento de 25% na prevalência de depressão e ansiedade no mundo. Logo, diante desse aumento, a procura por fármacos que auxiliam no apoio de condições de saúde mental aumentou em consequência.

Especialistas destacam a importância do acompanhamento médico e terapêutico e os riscos do uso indiscriminado dos remédios. Por isso, é muito importante o trabalho do psiquiatra no combate e no cuidado a essas condições.

 

Assessoria de Comunicação.

Área de Conhecimento

Novidades em primeira mão

Cadastre seu e-mail e fique por dentro das últimas notícias!